Sublimidade: O Encontro de Um Homem com Uma Mulher

sublimidade-270x270O relato da criação do ser humano, no texto de Gênesis aparece em dois momentos. Lendo os dois momentos, o leitor desatento, pode dizer que há um anacronismo. Só que o texto bíblico não foi escrito na sucessão dos acontecimentos; como texto, é um texto que tem a sua estilística, e assim, coube ao autor fazer a disposição da narrativa como melhor lhe pareceu. Desta forma, sou do ponto de vista, que o relato presente em Gênesis 1:26,27, o primeiro momento, é descritivo, e mostra a dimensão de unicidade da espécie e a diversidade de função: são seres humanos, com funções diferentes: macho e fêmea, homem e mulher.
O segundo relato, Gênesis 2:21,22, é explicativo, onde vai mostrar a dimensão da especificidade, no contexto da função. Assim, a descrição da criação em Gênesis 1:26,27, é exposta como sendo uma descrição que caracteriza: “Deus, portanto, criou os seres humanos à sua imagem, à imagem de Deus os criou: macho e fêmea os criou” (Gênesis 1:27). Três questões: 1) ecologicamente, homem e mulher são criados como sendo essencialmente iguais: seres humanos, tem-se aqui o sentido antropológico; 2) corporalmente são identificados como sendo espiritualmente projetados ao mundo da mesma fonte: imagem e semelhança de Deus, tem-se aqui o sentido teológico; 3) biologicamente, macho e fêmea, são definidos como seres funcionalmente diferentes, tem-se o sentido biológico.
Assim, o livro é costurado mostrando esta realidade: o homem é criado no sentido de guardar e regar o jardim, a mulher é criada por causa do homem, ou seja, como adjutora sendo idônea. Desta forma, o núcleo do livro vai falar da mulher como consciente do inconsciente do homem, e assim sendo, é neste sentido que a mulher é a glória do homem (1 Coríntios 11:7); o homem é o agente da Ordem e da Lei.

compre-aqui4(AGUARDANDO A 2ª REIMPRESSÃO)

About the author: prfrankribeiro

Leave a Reply

Your email address will not be published.